O que propomos

Em face dessa compreensão desenvolvemos um questionamento básico e definimos um projeto. Depois de um ano de trabalho aprendemos como o homem pode ser poderoso quando atua coletivamente, sintonizado sob a batuta de um propósito comum e resolvemos abrir essa discussão e esse trabalho via Internet, convictos de estar assim ampliando a competência produtiva e a eficácia do grupo. Propomos uma construção coletiva.

Descobrimos que existem muitas pessoas no mundo que conseguem libertar-se mentalmente dos condicionantes culturais que reproduzem e justificam o padrão civilizatório vigente, percebem suas inconsistências estruturais, suas ineficiências funcionais e seu esquecimento do ser humano e vislumbram possibilidades alternativas mais promissoras ou ao menos, identificam aspectos sociais que poderiam ter soluções mais consistentes e, ao seu modo, tentam fazer algo em benefício de todos. Descobrimos que são muitas e diversificadas as visões e iniciativas de culturas alternativas que obedecendo a um impulso instintivo de amor a espécie, dedicam sua vida a tentar, apesar do indelével e persistente sentimento de impotência.

Perguntamo-nos porque essas pessoas não se unem e trabalham juntas e encontramos resposta na cultura fragmentária e competitiva de nossa época e também porque não se deram conta de que essencialmente comungam de interesses comuns: são todas visões centradas no ser, que priorizam o ser, embora suas perspectivas e propostas tenham formas e colorações particulares.

É justamente neste ponto da necessidade de um elemento unificador que seja capaz de evidenciar a comunhão de interesses que a Filosofia pode aportar contribuição decisiva. Como? Revelando um referencial cognitivo dotado de consistência lógica e ontológica convincente, que seja capaz de recepcionar e dar suporte a todas essas perspectivas e anseios.

Daí este projeto e esta abertura à participação de tantos quantos almejem um mundo melhor e se sintam compelidos pelo desejo de contribuir e de fazer algo antes que seja tarde demais.

Todo o trabalho já desenvolvido está sendo colocado a disposição, bem como o planejamento até aqui vislumbrado, mas não sabemos como tudo isso vai continuar ou no que vai dar. Temos uma intenção básica, mas estamos abertos a tudo que for da conveniência e do interesse geral da espécie. A bibliografia indica as fontes de nossas atuais convicções.

Deixe uma resposta